Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Âncora de papel

by Miguel Oliveira

A arte de multiplicar o tempo

08.08.18, Miguel Oliveira

Há quanto tempo não tira tempo para si?
Há quanto tempo não dá tempo aos seus pensamentos?

Cada vez mais vivemos uma vida agitada, sempre daqui para ali, onde as palavras que se impõem são organização e flexibilidade. Num instante, preenchemos ainda mais a nossa agenda, seja com uma reunião, um trabalho ou um congresso. Onde julgávamos impossível arranjar cinco minutos para respirar, multiplicamos por seis e temos trinta minutos para mais um compromisso. Mas nesta azáfama, onde fica o agente da ação? No meio desta arte de multiplicar o tempo, quanto tempo conseguimos para nós? Quanto tempo dedicamos a um passeio? Quantos cinco minutos conseguimos arranjar para no fim do dia, no conforto do nosso lar, perdermo-nos no nosso pensamento?

Precisamos de tempo! Precisamos de ser mais do que um robô que executa tarefas predefinidas, em modo piloto automático. Precisamos de respirar, de passear por dentro de nós, de encontrar respostas, de encontrar forças, de encontrar ânimo. Precisamos de nos sentar, de nos escutar e de nos sentir.

Quando na arte de multiplicarmos o tempo, conseguirmos arranjar cinco minutos para os nossos pensamentos, então estaremos no caminho certo. Só nos conhecendo e sabendo o que queremos, conseguiremos ir a algum lado. 


Não é um luxo ter tempo para si. É uma necessidade!